Governo anuncia chamamento de mais de 500 bombeiros militares para atuarem no sistema de saúde do AM

O vice-governador do Amazonas e secretário-chefe da Casa Civil, Carlos Almeida, anunciou, nesta terça-feira (14), que o Governo do Estado está finalizando as tratativas para o chamamento de 517 bombeiros militares da área de saúde, aprovados no concurso de 2009, que irão reforçar a linha de frente do combate ao novo coronavírus.

Segundo Carlos Almeida, os bombeiros militares atuarão, neste momento, na rede de assistência aos pacientes com Covid-19, em especial no hospital da Universidade Nilton Lins, que funcionará como unidade de apoio ao Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz.

O governo informou que Wilson Lima enviará, ainda nesta terça-feira (14), mensagem à Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) com a proposta de criação de um fundo previdenciário específico para os servidores militares, que busca garantir a absorção dos novos profissionais e a manutenção do equilíbrio financeiro do Estado.

De acordo com Carlos Almeida, o Estado prevê uma queda de pelo menos 20% na arrecadação em decorrência da pandemia do novo coronavírus. Por conta disso, ainda conforme Almeida, será necessária a criação de um fundo previdenciário específico para os servidores militares, tanto do Corpo de Bombeiros quanto da PM, seguindo o que preconizam as Reformas da Previdência aprovadas em âmbito nacional e estadual.

A medida vai gerar um superávit atuarial para o Estado e a consequente liberação de orçamento para aplicação em políticas públicas, entre elas as de combate à pandemia de Covid-19.

“A criação desse fundo, que está sendo estruturada nesse exato momento, permite com que se desafogue o investimento que o Estado do Amazonas faz dentro do chamado Fundo Financeiro”, disse Carlos Almeida, ressaltando que os aprovados no concurso do Corpo de Bombeiros aguardavam a convocação há dez anos.

Reforço

Ao todo, serão chamados 517 profissionais, número correspondente ao de concursados habilitados a ingressar no curso de formação do Corpo de Bombeiros Militar. São 60 médicos de diversas especialidades, 78 enfermeiros, 30 dentistas, 28 farmacêuticos, 28 assistentes sociais, 236 técnicos de enfermagem, cinco (5) técnicos de gesso, 25 técnicos de radiologia e 29 auxiliares de consultório dentário.

No momento, já estão sendo definidas estratégias para a realização da formação por esses profissionais, em vista das recomendações para se evitar a aglomeração de pessoas, como forma de impedir a disseminação do coronavírus.

Outros 18 bombeiros militares da área da saúde que já haviam ingressado na corporação reforçam, desde o dia 26 de março, o trabalho da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e da Fundação de Vigilância

em Saúde (FVS-AM) no combate ao novo coronavírus, na capital e no interior.

Texto publicado pelo site G1 no dia 14/04/2020, conforme link:

https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2020/04/14/governo-anuncia-chamamento-de-mais-de-500-bombeiros-militares-para-atuarem-no-sistema-de-saude-do-am.ghtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *