Corpo de Bombeiros orienta quanto à prevenção de incêndios em residências

O Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) registrou, por meio do disque-emergência 193, 45 incêndios em
residência em Manaus no período de janeiro a maio deste ano. Apesar do número de atendimentos ser similar ao
mesmo período em 2019, quando foram contabilizadas 44 ocorrências, os bombeiros militares deixam um alerta e dão
orientações para se evitar esse tipo de incidente, que pode ocasionar mortes.
O especialista em Operações de Incêndio, 2º sargento BM Heberson Almeida, explica que uma das principais causas de
ocorrências dessa natureza é o mau uso das instalações elétricas do imóvel e a falta de atenção quanto à utilização de
produtos inflamáveis.
“As principais causas de incêndio em residência ainda estão na parte elétrica da casa e em alguns descuidos no dia a
dia, com gás de cozinha e outros materiais, como velas, uso excessivo de produtos de limpeza inflamável e outros”,
alerta o bombeiro militar.
Uma das principais dicas para se evitar incêndios em residência é estar atento às instalações elétricas do imóvel,
realizando revisões regularmente.
“Periodicamente é necessário fazer uma revisão na parte elétrica por um profissional habilitado. Isso porque, com o
passar dos anos, os moradores das residências compram novos equipamentos, ar-condicionados mais potentes,
geladeiras, televisores, e essa instalação pode ficar sobrecarregada. O ideal é fazer uma revisão na instalação elétrica
da casa a cada cinco anos de uso, para que não haja nenhum imprevisto”, orientou o sargento.
Mesmo com novas instalações e revisões periódicas, o bombeiro militar alerta quanto à sobrecarga das tomadas e
quanto aos eletrodomésticos que estão mais propensos ao curto-circuito quando são utilizados de maneira errada. “Os
equipamentos que são mais presentes em ocorrências de incêndios são aqueles que demandam mais energia para seu
funcionamento, como por exemplo ar-condicionado, máquina de lavar e micro-ondas. Esses eletrodomésticos devem,
prioritariamente, estar ligados em tomadas apropriadas e independentes, para evitar um curto-circuito e,
consequentemente, um incêndio”, disse Herberson Almeida.
Os carregadores de celular e adaptadores também estão entre os acessórios eletroeletrônicos que precisam de atenção
redobrada durante o uso. “Atualmente os carregadores de celular também demandam muita energia, e é sempre bom
evitar deixar os celulares carregando em cima de sofá, cama, ou em outros móveis feitos de materiais que facilmente
entrem em combustão. Deve-se evitar também falar ao telefone enquanto ele está carregando. Caso precise fazer uma
ligação, desconecte o celular da tomada para usar, pois pode ocorrer uma sobrecarga de energia no aparelho. Já os
adaptadores e benjamins são para uso rápido, e não para ficar em uma situação fixa”, frisou o bombeiro militar.

Botijas e mangueiras de gás – Outro alerta do CBMAM é quanto à utilização e instalação das botijas de gás. “Tanto
as botijas quanto os reguladores de gás, pinos de segurança, borboleta de conexão e mangueiras de gás devem ter
uma atenção especial. Deve-se sempre comprar os registros, mangueiras e demais equipamentos certificados pelo
Inmetro e estar atento ao prazo de validade desses materiais. As botijas de gás devem ficar em um local adequado, de
preferência do lado de fora da casa, e que tenha ventilação. Se não houver, procurar deixar próximo de janelas ou
portas” explica o especialista.
Falta de energia – Durante situações como a falta de energia no período da noite, o sargento Herberson sugere
também uma opção segura ao uso de velas.
“Uma alternativa para evitar o uso das velas em uma falta de energia é utilizar as lanternas de emergência; mas, caso
seja inevitável, o cidadão deve colocá-las dentro de um recipiente maior, de vidro, onde possam iluminar e ainda
ficarem protegidas caso venham a cair. Não se deve utilizar as velas em pratos nem deixá-las próximas de sofás,
cortinas e/ou camas”, alertou.
Cuidados com crianças – Outro ponto que deve ter atenção é em relação às crianças, para evitar que elas sejam
vítimas de incêndios e acidentes.
“A principal orientação é que as crianças devem estar sempre sob a supervisão de um adulto. A criança vive em
constantes descobertas, tem muita curiosidade e não possui noção do perigo. Por isso é importante guardar os
materiais inflamáveis, fósforos e isqueiros longe do alcance das crianças. Outra orientação importante é jamais deixar a
criança sozinha em casa. Se precisar sair, mesmo que seja para um local próximo, deixe-a com um adulto responsável
ou leve-a consigo, pois, em caso de uma emergência, a criança não saberá como agir”, recomendou a autoridade
militar.

Texto publicado no site Fato Amazônico no dia 27/06/2020, conforme o link:

Corpo de Bombeiros orienta quanto à prevenção de incêndios em residências

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *